Bravães

História | Heráldica | Hino | Código Postal
 

Mensagem

Caro conterrâneo ou amigo de Bravães,

Ao iniciarmos o nosso mandato pretendemos determinar uma relação de proximidade com a população e amigos da nossa freguesia.

De modo a fornecer informação sobre os principais acontecimentos e, sobretudo, dar a conhecer os usos e costumes de Bravães a potenciais visitantes, achamos por bem dar continuidade e melhorar o nosso sítio de forma a conseguir uma maior interatividade com a toda a população, quer com os residentes quer com os nossos emigrantes, neste espaço que servirá também de ponto de encontro.

Naturalmente aceitamos sugestões, opiniões ou ideias para melhorar o seu desempenho.

Esperamos que o sítio, desenvolvido a pensar em si, lhe seja útil e agradável.

Agradecemos a sua visita.

História

A Freguesia de Bravães, estende-se por uma área com cerca de 338 ha. Dista cerca de 5 Km da Vila de Ponte da Barca, a sede deste concelho, e está localizada na margem esquerda do rio Lima. Os seus limites são estabelecidos a Norte, pelo rio Lima, tendo na outra margem a Freguesia Távora de Santa Maria do Concelho de Arcos de Valdevez; a Sul estão definidos com a Freguesia de Crasto; a Nascente com a Freguesia de Oleiros e a Poente com a Freguesia de Lavradas, todas estas pertencentes ao Concelho de Ponte da Barca. O Mosteiro de Bravães, ex-libris, desta Freguesia é um dos mais importantes monumentos do norte de Portugal, e está classificado como monumento nacional.

As Inquirições de D. Afonso III, de 1258, dão notícia de que, antes de 28 de Julho de 1180, o rei D. Afonso Henriques coutara o mosteiro de Bravães, dando-o a D. Pelagio Velasques. Aliás, já nas Inquirições de D. Afonso II, em 1220, Bravães é citada como couto. No catálogo das igrejas do arcebispado de Braga, no título respeitante às da Terra de Nóbrega, que o rei D. Dinis organizou, em 1320, para o pagamento de taxa, o mosteiro de Bravães aparece com 300 libras. Este convento, que foi de cónegos regrantes de Santo Agostinho, subordinado ao de São Martinho de Crasto, foi desaparecendo gradualmente até à sua extinção, no tempo do arcebispo D. Fernando da Guerra, por breve do papa Martinho V, de 1420. Em 12 de Fevereiro de 1434, o mosteiro foi reduzido a igreja paroquial. Segundo o Padre António Carvalho da Costa, passou, então, a abadia secular e, depois, a comenda da Ordem de Cristo, ficando a pertencer ao Ordinário a apresentação do reitor.
No registo da cobrança das “colheitas” dos benefícios eclesiásticos do arcebispado de Braga, na parte relativa às igrejas da Terra de Nóbrega, feita entre 1489 e 1493, D. Jorge da Costa apurou o seu rendimento, em 2280 réis, em dinheiro com “morturas”, e, em dízimas de searas, 515 réis. Em 1528, o livro dos Benefícios e Comendas atribui a São Salvador de Bravães um rendimento de 80 mil réis. Em 1927, pelo decreto 13917, de 9 de Julho, a comarca de Ponte da Barca foi suprimida, sendo as freguesias do concelho anexadas, para efeitos judiciais, à comarca de Arcos de Valdevez.
 

Heráldica

BRASÃO: Escudo de verde, faixa ondulada de prata, azul e prata, acompanhada em chefe por um globo de crucífero de ouro, guarnecido de vermelho e, em ponta, por um pórtico românico de prata, aberto de vermelho e lavrado de negro. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: BRAVÃES.

BANDEIRA: Branca. Cordão e borla de prata e verde. Haste e lança de ouro.

DESCRIÇÃO: O Pórtico representa a nossa história perpetuada ao longo dos séculos, pela Igreja românica de Bravães. O Crucifixo representa o nosso padroeiro, S. Salvador e toda a religiosidade e veneração, inerente à religião cristã. O símbolo do rio representa o Rio Lima que banha toda a freguesia. Para além da fonte de rendimento que deu à população ao longo dos séculos, (pesca, força motriz aos moinhos existentes e ainda ao lazer).

 

Hino

Viva Bravães, nossa terra bem querida

Cheia de encantos e antigas tradições

A nossa igreja é de pedra denegrida

Fala de ti através das gerações.

Viva Bravães, terra de raça

E também de tradição

Viva Bravães, viva Bravães

Viva Bravães, do meu coração.

Aos teus pés desliza o rio feiticeiro

D’águas serenas que se chamam rio lima

E mais um pouco a estrada marginal

E depois os casais encosta a cima.

Viva Bravães…

E a senhora da pegada lá no alto

Os teus montes expoentes de beleza

Os teus campos tapetados de verdura

Era tudo quanto tinha a natureza.

Viva Bravães…

Tuas hortas, teus pomares e tuas vinhas

E o teu povo, brioso a caprichar

Fazem de ti a princesa do concelho

Vinde a Bravães andai-nos ouvir cantar.

Viva Bravães…

Códigos Postais
Barbeitos 4980 – 101

Granja 4980 – 122

Barreiro 4980 – 102

Lavoeira 4980 – 123

Bolão 4980 – 103

Moinhos Velhos 4980 – 124

Bruzende 4980 – 104

Mosteiro 4980 – 125

Buenos Aires 4980 – 105

Pegadinha 4980 – 126

Campo 4980 – 106

Peneirada 4980 – 127

Cancela do Forno 4980 – 107

Porta 4980 – 128

Candeiros 4980 – 108

Real 4980 – 129

Carnal 4980 – 109

Redondelo 4980 – 130

Carvalha 4980 – 110

Requeixe 4980 – 131

Casais 4980 – 111

Ribeira 4980 – 132

Cidral 4980 – 112

Ribeirinho 4980 – 133

Côto 4980 – 113

Rival 4980 – 134

Cova Lobos 4980 – 114

Roda 4980 – 135

Eido 4980 – 116

Santa Leocádia 4980 – 136

Espadanas 4980 – 117

Sobrado 4980 – 137

Ferreira 4980 – 118

Soutinho 4980 – 138

Fontes 4980 – 119

Valias 4980 – 140

Fundo Vila 4980 – 120

Vedouro 4980 – 141

Fuzil 4980 – 121

Vinhas 4980 – 142

Horário de Atendimento

Quarta-feira: 19h às 20h | Domingo: 09h às 10h

Pin It on Pinterest